terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

A Fé de Pedro

Fiquei maravilhado quando descobri a beleza, muitas vezes oculta pela nossa tradição, do texto que se encontra em Mt 14:22-36, que é também descrito por Mc em 6:35, que diz respeito ao evento onde Jesus anda sobre as águas. Na verdade não foi uma “descoberta”, mas fruto de uma aula de novo testamento do Prof. Natanel (FTBC).
O que sempre somos encorajados a crer, é que Pedro afunda depois que sua fé vacila, ou seja, se a nossa fé for suficiente podemos até andar sobre as águas. E a lição termina aí. Existe até uma música que nos incentiva a isso.
O contexto nos mostra que Jesus vinha tentando fazer com que seus discípulos aprendessem uma lição. Ao multiplicar os 5 pães e 2 peixes no capítulo anterior, podemos notar sem muita dificuldade que Jesus força aquela situação, exatamente porque queria ensinar algo valioso, algo de que os discípulos ainda não haviam tomado conhecimento. Ele diz no verso 16, daí-lhes vós de comer.
Jesus sabia que isso era impossível naquele momento para seus discípulos, e aí está a lição, se era impossível aos homens, era possível para Deus. A lição era: Escutem, Eu sou Deus, o Deus encarnado, o Deus que se fez homem, o Cristo prometido por Deus e predito pelos profetas.
É claro que podemos tirar outras lições desse texto, sem força-lo, como por exemplo, a ajuda aos necessitados, a preocupação com o lado social, e o cuidado de Deus com nossas necessidades básicas, mas o cerne do ensino é: Jesus é Deus, e os discípulos ainda não haviam reconhecido essa verdade.
No evento que se segue no verso 22, Jesus impele os discípulos para que entrem no barco e atravessem para a outra banda do mar. Outra vez Jesus força uma situação, para mais uma vez mostrar quem ele era, pois esse aprendizado seria imprescindível em suas vidas.
Jesus vem ao encontro deles caminhando sobre as águas violentas do mar, os discípulos se assustam, pensam se tratar de um fantasma e Jesus lhes diz, não temam, Sou Eu.
A primeira reação dos discípulos deveria ser de alegria e paz pois Jesus já havia provado a eles ter poder sobre as forças naturais, conforme lemos em Mc 4:35, mas ao contrário, a reação de Pedro foi de incredulidade e petulância. Incredulidade por não crer que se tratava de Jesus e petulância por achar que ele podia andar sobre as águas, fazer algo que somente Deus pode fazer.
Pedro não começou a afundar porque sua fé vacilou, ele começou a afundar porque não era Deus, porque só Deus anda sobre as águas.
Que proveito haveria no ensinamento de Jesus, para que Pedro flutuasse sem o auxílio de nenhum paramento ? De que ele poderia fazer qualquer coisa se tivesse fé do tamanho de um grão de mostarda ? Certamente isso é um exagero de linguagem e Deus não quer que saiamos por aí removendo montes dos seus lugares.
Será que a lição seria, posso todas as coisa naquele que me fortaleçe ? Já sabemos que o contexto impede qualquer interpretação nesse sentido.
Então qual a lição a ser aprendida ? É simples, Pedro tu não és Deus, Jesus é Deus e a sua graça nos basta.
Pedro, você não precisa andar sobre as águas para ter certeza que Jesus é Deus e que ele é suficiente. Não basta o que ele fez por nós na cruz do calvário ?
Fábio, você não precisa ver algo sobrenatural todos os dias acontecendo para provar que Deus é Deus. Paulo ouviu isso de Jesus, a minha graça te basta. Deus se subsiste e não precisa provar nada a ninguém.
A falha da fé de Pedro, a que Jesus se referiu, não estava na incapacidade de andar sobre as águas, mas estava na incapacidade de crer que ele era Deus, que Ele e somente Ele tinha e tem poder sobre as forças naturais, e a única atitude que Ele espera que tenhamos é a de crer que Ele é suficiente, para a nossa salvação, para a nossa segurança, porque todas as coisas cooperam para o bem.
É difícil não atentarmos para o sobrenatural, ele salta aos nossos olhos quando olhamos para o texto. Mas Deus tem algo muito mais precioso para nos ensinar. Ele quer que aprendamos a depender dele apesar das adversidades. Deus tem que ser Deus nas nossas vidas tanto na fome como na abundância, tanto na doença quanto na saúde, tanto na paz como na guerra. Podemos todas as coisas naquele que nos fortaleçe.
Ele é Senhor de nossa vida, e um servo não questiona o que faz o seu Senhor, apenas obedeçe.
Tenhamos a fé de Pedro, não a fé que ele não teve na ocasião do mar, mas a fé que ele teve quando finalmente entendeu a lição e declarou: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo !
Fábio Adriano Cruvinel Machado
13/09/2006

10 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
LINSMAR disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ISRAEL disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Adriana disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Flor de Lira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Comunidade Restauração & Vida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Moisés Braz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Beta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
betania disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
ELVIS motta ferreira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.