terça-feira, 24 de novembro de 2009

Jesus quer se revelar aos seus filhos

Lucas 24:13-31 “E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús. E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido. E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles. Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem. E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?
E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias? E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi homem profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo; E como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte, e o crucificaram. E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro; E, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive. E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém, a ele não o viram.
E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras. E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe. E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles. E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu. Abriram-se-lhes então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes.”

Por toda a história da humanidade, a iniciativa em se buscar comunhão nunca partiu do homem. Deus sempre tomou a iniciativa na direção do homem, com o objetivo de revelar-se ao mesmo e de prover-lhe salvação. E o primeiro exemplo aconteceu logo no início, em Gênesis, logo depois do homem e da mulher pecarem, Deus vai ao seu encontro e providencia-lhes roupas adequadas, porque nem isso o homem soube escolher direito. E a busca de Deus em direção ao homem vai se revelando nas páginas das Escrituras com Abraão, Moisés, Noé, os profetas e continua até hoje, porque nós somos provas vivas de que Deus um dia nos buscou no nosso estado de miséria e nos trouxe à sua maravilhosa luz.
E Jesus não fugiu à regra, visto que em todo seu ministério terreno, promoveu uma incessante auto-revelação com o intuito de fazer seus discípulos entenderem que Ele era verdadeiramente o Emanuel, o Deus conosco. Os milagres de Jesus, suas obras, suas palavras, no fundo nada mais eram que provas de sua identidade como aquele que havia de vir, o Messias esperado, embora na maioria das vezes, os seus próprios discípulos não conseguiam enxergar isso.