quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O QUE O LOUVOR NÃO É

Louvor não é música, não é um momento especial no culto, não é a apresentação de um grupo de teatro ou coreografia. Louvor também não é um brado de aleluia ou glória a Deus. Louvor pode ser tudo isso, mas com certeza é muito mais que isso. Pode ser, porque podemos fazer todas estas coisas sem estar necessariamente louvando. Louvor não é uma coisa, mas é um estilo de vida, um modo de viver que eu escolho para mim baseado no cristianismo que eu entendo. E quando eu escolho viver louvando é porque entendo que devo louvar vivendo, e se assim o entendo, é porque consegui retirar o louvor da caixinha preta e desmistificá-lo de sua concepção equivocada de apenas um momento do culto.
Outra coisa que louvor não é: louvor não é teoria. O tema do louvor pode até ser dissertado, mas com certeza não será expressado e experimentado a menos que saia do papel e se transforme em prática de vida cristã. Por isso que o louvor é uma questão de escolha de cada um; você escolhe que deseja viver sua vida em uma forma contínua de louvor e adoração a Deus. E quando exatamente eu expresso louvor a Deus através de minha vida?
Eu louvo a Deus quando escolho não mentir mesmo em uma situação que irá me prejudicar. Eu louvo a Deus quando escolho não prejudicar meu próximo para ser beneficiado de alguma forma. Eu louvo quando escolho não dizer um palavrão quando sou fechado no trânsito. Eu louvo quando decido viver o evangelho que prego. Eu louvo quando vivo a música que canto aos domingos. Eu louvo quando perdoo, ajudo, abençoo, divido, compartilho; quando manifesto piedade, misericórdia, afeto, compaixão; quando como, bebo, ando, falo; eu posso e devo louvar em cada momento de minha vida, porque só assim minha vida será um completo louvor a Deus.
Por isso que cantar é fácil, louvar é difícil, exige vontade, disposição, disciplina, e principalmente, amor. Amor a Deus e ao próximo. Sem amor a Deus, o amor ao próximo vira solidariedade, e sem o amor ao próximo o amor a Deus vira mentira e hipocrisia.
E por fim, o louvor não depende das circunstâncias, e se depender não é louvor. Já vi pessoas em estado terminal louvando. O louvor deve estar acima da doença, da crise, do fracasso, da rejeição, do medo, da angústia. Aliás, dizem por aí que os melhores louvores são construídos exatamente nestes momentos, porque pra louvar é preciso fé. Fé em um Deus que nos diz diariamente: A minha graça te basta!
Fé para dizer juntamente com o profeta Habacuque: "Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação."
Ainda assim eu O Louvarei.
Que Deus nos ajude e nos faça verdadeiros adoradores.

Nenhum comentário: