quinta-feira, 30 de junho de 2011

EU SOU A VOZ DO QUE CLAMA NO DESERTO

Calma, não estou querendo tomar o lugar do Batista. Mas cara porreta tá aí, num bom linguajar nordestino. Já li alguns comentários que dizem que o Elias prometido em Malaquias foi o próprio Batista, mas ele mesmo declarou: Eu não sou o Elias. O que você é então João? Sou apenas uma voz, não sou nada não, uma voz somente, uma voz que grita aos berros no deserto deste mundo: Endireitai o caminho do Senhor. O Batista sabia sem sombra de dúvidas quem ele era: precursor do Messias, aquele que iria abrir o caminho para que Jesus entrasse em cena. Esta era a identidade do Batista.
Carecemos hoje de cristãos com identidade, e de preferência, com boa identidade.
Temos sido marcados, infelizmente, por fraudes, falta de integridade, maus exemplos, enfim, nada que faça jus aquilo que realmente dizemos ser: cristãos.
Precisamos dizer a todo o tempo: Sou "evangélico", porque nossas ações não conseguem demonstrar isto. Nosso proceder nega e contradiz completamente aquilo que dizemos ser.
Falta integridade e temor a Deus no povo que se chama pelo nome d'Ele.
Mas faltam também vozes que clamem no deserto deste mundo deturpado e doente. Vozes que novamente estejam dispostas a escancarar o pecado a fim de que possa haver arrependimento e retorno.
As pessoas estão vivendo em seus pecados de forma natural, simplesmente porque o pecado não é mais apontado como tal. Trocamos o discurso do pecado pelo discurso da prosperidade e do bem viver aqui na Terra.
Maldita teologia da prosperidade que tirou o que de mais precioso tínhamos: temor a Deus e o desejo para que o reino de Deus se concretizasse de forma plena.
Que Deus me ajude a ser uma voz que clame no deserto, mesmo que seja de forma tímida em razão de minhas limitações.
Este é o meu desejo!

2 comentários:

Salviano Adão disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Francisca Petraias disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.