sexta-feira, 19 de outubro de 2012

O EVANGELHO DE JONAS: MISERICÓRDIA EM TEMPO DE ÓDIO

"Vá depressa à grande cidade de Nínive e pregue contra ela, porque a sua maldade subiu até a minha presença" Jonas 1:2

"Aquele que teve misericórdia dele, respondeu o perito na lei. Jesus lhe disse: Vá e faça o mesmo" Lucas 10:37

O livro de Jonas é escandaloso e provocante. Mostra Deus como realmente é em toda a sua graça em uma época em que a lei era olho por olho e dente por dente. Nínive era a capital da Assíria. O povo assírio era violento e desumano. Quando invadia um país, além dos costumeiros saques, impunha horror. Cometia as maiores atrocidades que a mente humana já conseguiu conceber. Pela lei lógica vigente, a retribuição para o povo assírio deveria ser a mesma, horror e atrocidade.
Mas Deus, em seu costumeiro modo irônico e ilógico de tratar com o ser humano, manda Jonas pregar para aquele povo porque Ele queria salvá-los. Fantástico, escandaloso, provocante e surpreendente é o amor de Deus. Ele inverte a lógica humana e faz o que ninguém seria capaz de fazer. Amar quem não merece. Amar gratuitamente a imagem mais grotesca e bizarra da humanidade.
Tanto Jonas como o mestre da lei foram nocauteados pelo amor de Deus. Estavam tão cheios de si, tão inchados em sua religiosidade mesquinha e egoísta que não podiam aguentar tanto amor. E Deus continua fazendo o mesmo ainda hoje com nossos egos obesos.
Podemos usar quantos argumentos quisermos. Podemos filosofar, arguir, refletir, ponderar, mas os textos soarão em nossas mentes como sinos ensurdecedores dizendo: prega contra ela...vá e faze o mesmo...
Assim são as boas notícias de Jesus: Como eu te amei, vá e faça o mesmo. Como eu tive misericórdia de ti, vá e faça o mesmo.
Talvez as boas notícias de Jesus não sejam boas notícias pra você. Talvez você, assim como eu, tenha momentos (não raros) em que o único sentimento é raiva, desprezo e vingança. Se é assim que acontece, fale isso pra Jesus, mostre a Ele a sua indignação e os motivos de sua ira. Seja sincero porque isto é legítimo.
Mas esteja preparado para viver experiências surpreendentes de manifestação de misericórdia e graça. Esteja preparado para amar de uma forma que você jamais seria capaz sozinho. Aliás, isso é algo que só o evangelho de Jesus pode fazer com o ser humano. Nenhuma religião ou filosofia é capaz disso porque a graça só é conhecida e manifestada pela pessoa de Jesus.
Experimente se deixar viver uma experiência de graça, porque Jesus continua dizendo: vá e faze o mesmo!

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

PROFETA FILHO DE PROFETA

"E veio a palavra do SENHOR a Jonas, filho de Amitai, dizendo: Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença. Jonas 1:1-2

Poderia começar este texto com a música do Chico: O meu pai era paulista, meu avô pernambucano, o meu bisavô mineiro, meu tataravô baiano...
Adoramos genealogias. Valorizamos os sobrenomes, sobretudo os mais "importantes" e imponentes; os estrangeiros estão no topo da lista, como se isso nos fizesse pessoas melhores e de bom caráter.
Coisa de judeu.
Se você perguntar para um judeu autêntico, é bem capaz que ele saiba de que tribo de Israel ele pertence, mesmo que resida em outro país que não Israel.
Se Jonas fosse cantar a música do Chico, seria mais ou menos assim: o meu pai era profeta, meu avô também profeta, o meu bisavô profeta, meu tataravô profeta; porque naquele tempo, filho de profeta, profetinha era, ou melhor, naquele tempo não, ainda hoje é assim, ou não é?
Pra mim Deus não deixou esta frase "filho de amitai" porque Ele se importava com as genealogias. Deus deixou simplesmente para nos dizer que, apesar de profeta, filho de profeta, não exerceu bem a sua "profissão".
Se eu fosse me utilizar do modo de valorização que a maioria das pessoas usam estaria em maus lençóis. Meu pai era funileiro, meu avô era pipoqueiro e sapateiro, e a minha história termina aí porque em família de pobre quem quer saber quem vem de quem?
Apesar da minha genealogia "insignificante", um dia, sabe-se lá porque cargas d'água, Deus me disse que de alguma forma eu poderia fazer algo de bom neste mundo. Que mesmo não apresentando exímia capacidade intelectual, mesmo não sendo financeiramente abastado, mesmo não sendo conhecido e aclamado como formador de opinião, eu poderia fazer alguma coisa no seu reino.
E a boa notícia para os maltrapilhos deste mundo, nos quais eu me incluo é esta: Qualquer pessoa pode fazer alguma coisa boa nesta mundo, basta atender à voz de Jesus: apascenta as minhas ovelhas!
Esta é a maravilha do evangelho. Você não precisa ser profeta filho de profeta, pastor filho de pastor, apóstolo filho de apóstolo para ser um propagador da boa notícia do reino de Deus . Basta ser gente e responder ao convite de Jesus: apascenta as minhas ovelhas!
Por isso, filho do funileiro, do médico, do sapateiro, do dentista, do pedreiro e do advogado, dentro de suas capacidades, dentro do seu círculo de convivência, você pode ser também um pastor de ovelhas, genuinamente falando.
Aliás, só vamos ser realmente pastores de ovelhas quando qualquer outro título ou "sobrenome" não fizer mais o menor sentido em nossas vidas, quando qualquer objeto de ostentação perder completamente o seu significado, quando deixarmos que as vozes de aclamação e bajulação se emudeçam completamente para nós, aí sim, estaremos aptos para cumprir o convite de Jesus: apascenta as minhas ovelhas!