sábado, 23 de novembro de 2013

SE NÃO EDIFICA DESTRÓI

"Tudo é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo é permitido", mas nem tudo edificaNinguém deve buscar o seu próprio bem, mas sim o dos outros. Comam de tudo o que se vende no mercado, sem fazer perguntas por causa da consciência, pois "do Senhor é a terra e tudo o que nela existe". Se algum descrente o convidar para uma refeição e você quiser ir, coma de tudo o que lhe for apresentado, sem nada perguntar por causa da consciência. Mas se alguém lhe disser: "Isto foi oferecido em sacrifício", não coma, tanto por causa da pessoa que o comentou, como da consciência,
isto é, da consciência do outro e não da sua própria. Pois, por que minha liberdade deve ser julgada pela consciência dos outros? 1 Coríntios 10:23-29

Quando você peca contra seus irmãos dessa maneira, ferindo a consciência fraca deles, peca contra CristoPortanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar. 1 Coríntios 8:12-13


Paulo é bastante liberal ao descrever o modo como podemos viver nossa vida. Ele declara abertamente: podemos tudo. Nada mais é proibido porque não vivemos mais debaixo da lei mas debaixo da graça, e uma das características da graça é viver livre, liberto e em liberdade.Contudo, Paulo diz que não convém fazer algumas coisas. Por que? Por causa da consciência, não minha, mas do outro. É com o que o outro vai pensar e achar que eu devo me preocupar.

Eu sei que a opinião popular diz: viva a sua vida não importando com o que o outro vai pensar a respeito porque você não deve satisfação a ninguém; mas não é assim que Paulo pensava. Para ele era importante o modo como nos comportamos diante das pessoas para que elas não se ofendam pelos nossos atos.

E apesar dos dois textos fazerem referência a questões específicas que estavam acontecendo na comunidade de Corinto, podemos extrair o princípio deste texto que é: tudo aquilo que faço que ofende meu próximo, devo evitar.

Posso pensar em muitas coisas que, para não ofender ninguém, devo evitar, mas vou me ater em uma especificamente: como propagador das verdades do evangelho, devo evitar opiniões particulares que interessam só a mim e que se forem ditas não edificarão a ninguém, pelo contrário, trarão apenas discussões vãs e infrutíferas causando mal estar e falatórios desnecessários.
Não é o que muita gente pensa, porque é exatamente por estas opiniões particulares que blogs "bombam" de visitas, igrejas ficam lotadas a cada semana para ouvir a mensagem que muitas vezes surpreende mais do que edifica, líderes se tornam celebridades por dizerem sempre algo que choca mais do que consola.
A Bíblia não foi feita pra encher blogs ou igrejas e nem foi escrita pra surpreender ou chocar, a Bíblia foi escrita para discernir intenções e pensamentos a fim de que o ser humano possa se humanizar e se render ao seu Criador.
Por isso mais do que "causar" aquele que se mete a falar do evangelho deve pensar e repensar cada palavra que sai da sua boca ou dos teclados do seu computador e se perguntar: Isso edifica? Estou construindo alguma coisa ou apenas colocando mais dúvidas nas pessoas?
Porque o que menos precisamos em nosso tempo é de mais dúvidas. Elas estão saindo pelos ladrões, visto que ninguém tem mais certeza de nada.
As pessoas precisam de certezas, e a Bíblia as têm.
Portanto, se nos ativéssemos em pregar somente a Bíblia sem querer reinventar a roda a cada "domingo" já seria um bom começo.
A pergunta que deve ser feita é: Aquilo que torno público é construtivo? As páginas e posts do Facebook que acesso são neutras ou vão colaborar para que mais pessoas se rendam a Jesus? As dúvidas que tenho a respeito da Bíblia, se forem expostas, vão contribuir para o crescimento espiritual das pessoas? Se a resposta a alguma destas perguntas for não, então Paulo diz que devo evitar.
Porque tenha certeza de uma coisa: tudo que não constrói, destrói.

Nenhum comentário: