terça-feira, 28 de outubro de 2014

TEOLOGIA DO ABSOLUTO

"O Senhor tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo". Salmos 103:19

Costumamos tecer nossa teologia de acordo com nossas necessidades. Isso é normal, embora não seja certo. Porque quando fazemos isso sempre incorremos no erro de acrescentar ao texto o que ele não quis dizer.
O texto acima é um poema antes de tudo. Davi está extasiado com a grandeza de Deus e está tentando, a despeito de suas limitações, descrever o indescritível, e neste caso, a bondade de Deus.
Davi não está errado, porque não tem como falarmos de Deus sem usarmos expressões humanas, porque, obviamente, é assim que nos comunicamos. Não podemos, todavia, nos esquecer de que Deus é inexplicável, e por isso, toda explicação estará fadada a ser insuficiente.
O problema começa quando vemos João falando que o mundo todo está no maligno, ou sob o poder do maligno (5:19). Se o reino de Deus domina sobre tudo, como pode o mundo estar no maligno?
É a nossa teologia do absoluto tentando explicar situações locais e momentâneas da forma menos sofrível possível.
Acabamos de passar por eleições presidenciais onde há muita gente insatisfeita com os resultados e muita gente colocando nas redes sociais que Deus está no controle. No controle do que? Da política? Duvido. Porque se estivesse não estaríamos na situação em que estamos. No controle dos políticos? Também duvido, porque se estivesse teríamos justiça neste país.
Desculpem-me, mas essa teologia é fraca e não sobrevive ao questionamento mais simplório. Ela servia há algumas décadas onde ninguém questionava nada, mas não serve mais hoje.
Quando dizemos que Deus está no controle de tudo, queremos dizer que tudo que acontece é de sua vontade e de seu comando.
Não acredito que milhares que morrem todos os dias de fome seja vontade de Deus. Não acredito que todas as atrocidades cometidas contra crianças indefesas seja vontade de Deus. Não acredito que toda maldade humana seja ordenação de Deus. Deus não está no controle de tudo, não da forma que imaginamos.
Colocar tudo sob o controle de Deus tira nossa responsabilidade como seres humanos, pensantes e com poder decisório, como o próprio Deus nos fez. Colocar tudo sob a vontade de Deus nos exime da responsabilidade de decidir e lutar por um mundo melhor. Colocar tudo sob o controle de Deus soa como covardia de assumir as próprias decisões.
A política não está no controle de Deus. A economia não está no controle de Deus. A justiça (ou injustiça) tampouco. Tudo isso está sob o controle da maldade e ganância humanas. O mundo está no maligno.
Então o que está sob o controle de Deus? Assim como Jesus, acredito que o que realmente está sob o controle de Deus é o fim de tudo. Na parábola do joio Jesus vai descrevendo uma situação que aparentemente leva ao caos e ao desespero: trigo ruim no meio do trigo bom. Mas no fim, um é separado do outro e o agricultor pode então usufruir do seu trabalho.
Ainda não chegou o momento da separação e por isso ainda estamos em luta e somos responsáveis pelas nossas escolhas.