quarta-feira, 4 de setembro de 2013

PRIMEIRO O REINO


Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.

Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?
E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:5-8

Conflito de foco e de importância sobre a vida.
Jesus está falando sobre uma futura mudança de paradigma jamais vista em todos os tempos. Uma mudança que afetará toda a humanidade. Uma mudança que marca o início da restauração do caos da criação. Esta mudança é a decida do Espírito Santo sobre toda a humanidade, não mais de forma local e esporádica como acontecia até então, mas de forma universal.
Deus não será mais o "Deus dos judeus". Deus não mais estará confinado em um templo, "controlado" por leis e regras limitadas e temporais (óbvio que Ele nunca esteve, mas assim pensavam os judeus). Deus agora está "livre" e vai atuar sem limites e sem discriminações quanto a raças ou religiões.
Mas o foco e as preocupações daqueles que ouviam Jesus eram outras. Seus problemas eram tão pequenos e insignificantes perto do que estava para acontecer, que Jesus tem de interromper sem muita cortesia - "esquece isso, a vocês não importa saber tempos ou estações. Eu quero que vocês se preocupem com algo que vai muito além dos seus problemas imediatos: o Reino de Deus".
Ser testemunhas do que Jesus fez, falou e viveu, essa era a missão.
Veio-me a mente uma questão: Temos nos preocupado em ser testemunhas do que Jesus fez, viveu e falou, ou temos tentado encher "linguiça" dando o nome a isso de "evangelho"?
Mas voltando ao assunto, esse conflito entre Jesus e aqueles que o ouviam se parece muito conosco.
Estamos por demais preocupados com nossos problemas, aquilo que nos afeta pessoalmente, aquelas coisas que só a nós dizem respeito e não temos muito tempo de olhar para as necessidades do reino. Não que nossos problemas não sejam importantes e grandes aos nossos olhos, mas o que Jesus quer que entendamos é que, à medida que nos preocupamos com o reino, Ele se preocupa com nossas coisas. À medida que dedicamos tempo e esforços com as coisas do seu reino, Ele se encarrega de nossas demandas. Aliás, tenho certeza que Ele pode resolvê-las melhor que nós mesmos não é?
Mas queremos sempre ter o controle de tudo, quando no fundo não controlamos nada, nenhum segundo da nossa ínfima existência.
Isto não significa apatia diante dos problemas, que não vou mexer um dedo na tentativa de resolvê-los. Significa que farei apenas aquilo que está ao meu alcance fazer, e o que não estiver, entrego pra Ele.
Agindo assim não me desgasto com aquilo que foge ao controle e posso pensar nas coisas que realmente importam, as do reino.
Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça.
Você pode estar pensando: esse cara não tem problemas, deve viver uma vida muito mansa pra pensar assim. Engano seu, sei muito bem o quanto é difícil viver esta ordem de Jesus. Exatamente, não é um conselho, mas uma ordem - buscai. Mas ao mesmo tempo que sei o quanto é difícil, sei que se foi Jesus quem falou, então é possível.
E o interessante é que viver o reino é o oposto perfeito de viver preocupado com nossas coisas, porque viver o reino é se preocupar com o outro, com os seus problemas. Mas nosso mundo está egoísta demais para pensar numa insanidade destas, não é mesmo?
Mas quando não temos coragem de deixar as coisas mais importantes de nossa vida nas mãos de Deus, falta-nos fé. Podemos ser os mais religiosos de nossa comunidade, mas não teremos a fé que move o coração de Deus, a fé da entrega total.
Vou terminar deixando uma pergunta para você e para mim, cristãos. Qual a distância que estamos do verdadeiro evangelho vivido por Jesus?

Nenhum comentário: