quinta-feira, 23 de agosto de 2012

ASSIM É O REINO...

Ele prosseguiu dizendo: "Acontece com o Reino de Deus assim como com um homem que lança a semente sobre a terra. Noite e dia, quer ele durma quer se levante, a semente germina e cresce, embora ele não saiba como. A terra por si própria produz o grão: primeiro o talo, depois a espiga e, então, o grão cheio na espiga. Logo que o grão fica maduro, o homem lhe passa a foice, porque chegou a colheita". Novamente ele disse: "Com que compararemos o Reino de Deus? Que parábola usaremos para descrevê-lo? Acontece com o Reino de Deus assim como com um grão de mostarda, que, quando plantada, é a menor semente de todas. No entanto, plantada, ela cresce e se torna a maior de todas as hortaliças, com ramos tão grandes que as aves do céu podem abrigar-se à sua sombra". Marcos 4:26-32

Os judeus enxergavam o reino de Deus como um reino político, nacionalista e local. Neste reino, todo Israelita acreditava que, definitivamente, Deus restauraria a liberdade plena de Israel que incluia obviamente a posse do seu território, a terra dada por Deus.
O tempo passou e hoje muita gente entende reino de Deus apenas em um sentido escatológico, quando por fim Jesus reinará sobre todas as nações juntamente com seus santos em uma esfera totalmente espiritual.
O reino sobre o qual Jesus pregou não é nem uma coisa e nem outra, ou talvez seja todas as coisas juntas. O reino é, está sendo e será. O reino foi inaugurado por Jesus, continua sendo manifestado pela Igreja e será no futuro concretizado de forma completa e perfeita.
O problema de pensar em reino como os judeus tira o toque sobrenatural do reino que diz respeito ao seu crescimento e à sua evolução, e o problema de pensar em reino como muitos fazem hoje, espiritualizando-o completamente, tira a beleza do viver o reino de uma forma comum e humana, como Jesus viveu.
Nesta parábola Jesus não trata da forma do viver este reino, ele vai fazer isto em outros textos. Neste texto Jesus nos mostra como este reino se desenvolve, como ele vai crescendo até se transformar no reino escatológico.
Jesus estabelece uma regra irônica para o crescimento deste reino. Ao invés de usar de um sistema de multiplicação extremamente eficiente para que a medida escatológica do reino cheguasse o mais breve possível, Ele usa de um sistema vagaroso e ineficaz à razão humana.
Olhando de forma lógica, o reino que Jesus estava inaugurando não tinha grandes chances de sucesso. Os homens de respeito da sociedade da época eram extremamente contrários aos ideais do reino de Jesus. As pessoas convocadas para fazerem parte deste reino eram pessoas de baixa índole e de um passado extremamente duvidoso. A própria família de Jesus a princípio não entendeu o que Ele fazia e começou a jogar no time adversário. Enfim, tudo conspirava contra.
Então, para tranquilizar seus discípulos, Jesus vem mostrar que o seu reino era assim mesmo. A princípio não tinha muita coisa que o qualificasse como bem sucedido, mas seu final seria glorioso. E por isso não tinha e não tem nada que o homem ou qualquer ser deste universo faça para atrapalhar o destino que Deus planejou para a raça humana. Tudo está traçado e tudo está sob controle apesar das aparências.
A semente foi lançada, o reino foi inaugurado e sua concretização está programada. E quando isso acontecer, Jesus passará a foice e fará a separação do joio e do trigo.
Por enquanto, a única coisa que podemos ver deste reino são sementes, tão pequenas que parecem insignificantes. Tão inertes que parecem mortas. Mas são estas sementes, cada pequena ação que fazemos em pról do reino, são elas que frutificarão no fim das contas. São estas sementes que formá a grande árvore sob a qual os povos da Terra habitarão.
Assim é o reino de Deus; a gente não vê, não percebe, mas ele continua crescendo e sendo semeado. Em cada esquina, em cada conversa, em cada abraço, em cada gesto de amor cristão, lá está a semente sendo lançada.
Desconfie dos grandes "booms" de crescimento que se vêem por aí, desconfie dos crescimentos em progressão geométrica porque aparentemente o reino não cresce assim; pelo menos esta não é a regra.
Por isso não desanime diante do cenário que se nos coloca. Deus está e sempre estará trabalhando por detrás dos bastidores e no fim vai dar tudo certo.

Nenhum comentário: